educação financeira para funcionários

Educação financeira para funcionários: entenda sua importância e como aplicar!

A educação financeira para funcionários é um tipo de conhecimento que tem sido aplicado em algumas empresas no Brasil e no mundo. Seu objetivo é ajudar os colaboradores da organização a cuidar melhor dos seus recursos financeiros e a planejar o futuro com mais consciência.

Os problemas financeiros podem trazer diversas consequências negativas, como os conflitos nos relacionamentos, as doenças físicas e mentais e até mesmo uma queda de produtividade no trabalho. É por isso que a educação financeira é um importante auxílio na vida empresarial.

Mas o que exatamente significa esse conceito? Quais são os benefícios obtidos em abordar o tema dentro das organizações? Quais tópicos podem ser ensinados? Continue a leitura deste artigo e descubra!

O que é a educação financeira?

A educação financeira é uma área do conhecimento que ensina as pessoas a administrar melhor o seu dinheiro. Meios para obter renda, técnicas de negociação, formas de consumir com consciência, planejamento de gastos, maneiras de quitar e evitar os endividamentos, noções de empreendedorismo, tipos de investimento, principais impostos e taxas do país e conhecimentos básicos sobre a economia local e nacional estão entre os principais tópicos da área.

O fato é que infelizmente o Brasil é um país ainda pouco desenvolvido nessa questão. Em contrapartida, há nações em que a educação financeira aparece nas grades curriculares das escolas, ainda no ensino infantil. Esse é um dos motivos pelos quais temos uma população adulta tão endividada e desorientada com assuntos financeiros.

Como planejar a aposentadoria? Financiar e pagar juros é uma boa ideia? Quais são os impactos das emoções no comportamento do consumidor? No sistema capitalista, a educação financeira se propõe a ajudar as pessoas a resolver essas questões.

Quais são os benefícios promovidos?

Como a maior parte dos adultos de hoje teve pouca ou nenhuma orientação de qualidade em relação à administração do seu dinheiro, a educação financeira para funcionários das empresas tornou-se uma solução eficaz. Confira os benefícios que ela promove!

Qualidade de vida

Pessoas que administram bem o seu dinheiro conseguem realizar os seus sonhos. Além disso, vivem de forma mais tranquila por saberem que, diante de uma emergência, terão recursos para resolver a situação.

Por fim, é fato que, sem as preocupações financeiras, as pessoas têm menos conflitos com familiares, menos problemas de saúde (mental, sobretudo) e mais tranquilidade. Isso as torna mais felizes, otimistas, confiantes e bem-humoradas.

Menos estresse

É sabido que as pessoas que enfrentam problemas pessoais podem ter a sua produtividade no trabalho prejudicada. Como se concentrar no trabalho e executar as tarefas necessárias com motivação, sendo que o indivíduo está com a mente cheia de preocupações externas?

Esse acúmulo de angústias desequilibra o aspecto emocional das pessoas, o que pode torná-las mais irritadiças, agressivas ou sensíveis às críticas. Em outras palavras, a educação financeira ameniza o estresse.

Melhora no clima organizacional

Se as pessoas que recebem a educação financeira administram melhor os seus recursos e, consequentemente, tornam-se menos estressadas, é natural que o convívio entre elas seja beneficiado. Por isso, os ambientes de trabalho em que os colaboradores são adequadamente remunerados e sabem bem que destino dar a esse dinheiro tendem a ter um clima organizacional mais positivo. Pessoas em equilíbrio emocional conseguem evitar e resolver os seus conflitos sem grandes problemas.

Resultados positivos no trabalho

Por fim, vale a pena ressaltar que, quando os trabalhadores não têm muitas preocupações com o seu dinheiro, conseguem canalizar a sua atenção ao trabalho com facilidade. Com mais concentração e motivação e sem dores de cabeça por questões externas, o trabalho sai muito melhor e mais rápido. A educação financeira, portanto, beneficia a produtividade e a qualidade daquilo que se produz, tendo em vista que a probabilidade de erros é consideravelmente reduzida.

O que ensinar?

Conhecendo bem os benefícios da educação financeira, talvez você esteja se perguntando quais conteúdos que devem ser abordados. Confira a seguir alguns dos temas a serem inclusos nos cursos e treinamentos.

Planejamento financeiro

Você sabia que boa parte dos adultos brasileiros simplesmente não faz ideia de como vai a sua situação financeira? Estamos falando de pessoas que gastam enquanto há dinheiro na conta e que só param quando ele acaba.

Essa postura é terrível, de modo que é preciso ensinar os funcionários a criar uma planilha financeira. Por meio dela é possível acompanhar todos os gastos e ganhos do mês para que as pessoas possam administrar o dinheiro, sem chegar ao fim daquelas semanas no vermelho.

Pagamento e prevenção de dívidas

Sem o planejamento financeiro adequado, é comum que os indivíduos parcelem as suas compras em prestações a perder de vista. Além disso, recorrem aos empréstimos.

As duas “soluções” encontradas são perigosíssimas, pois levam a pessoa a contar com um dinheiro que ainda não foi recebido e quase sempre cobram juros altíssimos. O resultado é uma angustiante bola de neve de dívidas. A educação financeira para funcionários ajuda a sair dessa situação, ou melhor, a nunca mais entrar nela.

Diferenças entre o essencial e o supérfluo

O principal ensinamento da educação financeira é não gastar mais do que se ganha. Para que isso ocorra, muitas vezes, é necessário que as pessoas reduzam ou cortem gastos, sobretudo aqueles considerados não essenciais.

Os gastos supérfluos são aqueles que podemos viver sem, como ir ao cinema ou comprar uma blusa nova sem que estejamos precisando. Os essenciais são aqueles sem os quais não podemos viver com o mínimo de qualidade, como: moradia, saúde, alimentação, educação, transporte, eletricidade etc.

Noções básicas de investimento

A educação financeira também ajuda as pessoas que conseguem chegar ao fim do mês com algum dinheiro sobrando a dar um destino adequado a ele. É fato que deixá-lo na poupança não é uma solução inteligente, já que, muitas vezes, ela perde para a inflação.

Assim, há outras opções de investimento mais atrativas, como CDBs, LCIs, LCAs, Tesouro Direto, fundos de investimento, ações, e por aí vai. Por fim, construir uma reserva de emergência também é um investimento importante!

Ficou claro que a educação financeira para funcionários é uma rica experiência e pode ocorrer por diferentes meios, sempre analisando o perfil da equipe. Cursos, treinamentos, palestras com especialistas e distribuição de materiais ricos (folhetos, cartazes, e-books, e-mails, vídeos etc.) são alguns exemplos. Independentemente da técnica, o fato é que essa estratégia torna os colaboradores mais motivados e capacitados para ajudar a empresa a se fortalecer no mercado!

Se você gostou deste conteúdo, lembre-se de levá-lo a outras pessoas que possam estar com dificuldades financeiras. Compartilhe-o nas suas redes sociais!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.