Extrato bancário

Como entender o extrato bancário e organizar melhor a empresa?

A saúde financeira de um negócio depende de uma série de fatores, como: organização, constância da elaboração de análises e monitoramento. Nesse momento, saber de que forma é possível compreender e organizar o extrato bancário da empresa pode ser de grande ajuda.

É comum contar com esse documento no dia a dia das pessoas físicas. Ele auxilia no controle de contas e traz informações interessantes sobre o comportamento de uma pessoa. Contudo, muitas não sabem que ele pode ser usado, também, na hora de otimizar os resultados de uma companhia.

Com isso em mente, caso você deseje aprimorar a situação financeira do seu negócio, continue a leitura!

O que é o extrato bancário?

Em poucas palavras, é possível definir o extrato bancário como um documento responsável por mostrar as movimentações de uma conta. Ele pode ser emitido de diferentes maneiras, por exemplo, pela internet, na boca do caixa ou por telefone. Ao tê-lo em mãos, o usuário da conta acessará uma espécie de histórico, que demonstrará alguns padrões financeiros — além das particularidades do período.

Em geral, o período mais comum analisado em um extrato é o mensal. Contudo, com o avanço tecnológico e a transformação digital, hoje, é possível acessar as transações de qualquer período, em especial por meio de apps bancários. Esse é um ponto muito importante para as empresas, visto que elas passam a conhecer e organizar o seu caixa com maior facilidade.

Qual a função do extrato bancário?

Conforme apontado, esse é um grande aliado na organização e no controle financeiro organizacional. De maneira geral, essa é a sua maior função. Contudo, o extrato bancário também tem outra serventia para as companhias: ele pode ser usado como comprovante de renda.

Em termos legais, não é possível definir o extrato assim. Porém, uma vez que muitos bancos passaram a aceitá-lo com esse fim ao longo dos anos, em especial quando não há outra forma de comprovar renda disponível, essa passou a ser uma possibilidade.

De modo a usar um extrato bancário como comprovante, é preciso, antes de qualquer coisa, conversar com o gerente de seu banco. Afinal, é importante confirmar se ele aceitará ou não o documento. Em caso positivo, é necessário atentar aos critérios que tornam o extrato legítimo. Eles incluem, em geral:

  • apresentação de, no mínimo, a movimentação dos últimos três meses;
  • inclusão de extratos de investimentos;
  • retirada do extrato junto ao gerente e, preferencialmente, constando a sua assinatura;
  • apresentação, também, da declaração do Imposto de Renda mais recente.

É possível usar extratos tanto de contas-correntes quanto de poupanças e contas-salário. Além disso, no caso de empresários e autônomos, caso não haja acesso ao holerite, é necessário recorrer ao DECORE (Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos). Ele deve ser registrado no Conselho Regional de Contabilidade.

Quais os tipos de extrato bancário?

Agora que você conhece todas as funções desse documento, é hora de conferir os seus principais tipos. Entenda!

Comum

Esse, conforme o nome indica, é o extrato bancário mais acessado pelos brasileiros. Ele pode ser emitido online ou na boca do caixa e apresenta movimentações financeiras sobre o período que o emissor desejar conhecer.

Mensal

Conforme apontado, é comum que as pessoas emitam extratos mensais. Afinal, eles as ajudam a compreender os padrões de gastos e recebimentos de seu mês. Isso, por sua vez, ampara a tomada de decisões das finanças pessoais. As empresas também podem usar essa estratégia. Ao emitir o extrato e disponibilizá-lo aos contadores, a gestão se torna mais organizada. Nesse tipo, só é possível contar com a versão impressa. Ela é obtida no banco.

Anual consolidado

Finalmente, há o extrato anual. Ele é um demonstrativo das operações financeiras realizadas no período de 12 meses, seja por uma organização, seja por uma Pessoa Jurídica. O seu envio é obrigatório por parte dos bancos e não pode ser cobrado.

Como entender o extrato bancário?

Mesmo ao compreenderem o que é, qual o papel e quais são os tipos de extratos bancários, nem sempre os seus emissores conhecem as formas de interpretá-lo. Esse é um ponto fundamental, uma vez que é ele que possibilitará a organização das finanças corporativas.

Datas

Em primeiro lugar, é preciso estar atento às datas. Elas indicarão o período de análise das movimentações, que podem ser quinzenais, mensais, anuais, ou de acordo com as necessidades de cada pessoa. Quanto maior for o período, maior será o extrato.

Letras

Em seguida, é necessário conferir as letras. Elas podem confundir um pouco, mas o seu uso é simples. A letra C representa crédito. Dessa forma, fala sobre a entrada de dinheiro. Ela também pode ser representada pelo sinal de +. Já a letra D fala sobre débito. Ou seja, sobre o dinheiro que saiu da conta. Ela está ligada ao sinal de -.

Além disso, é importante saber que, enquanto C/C representa conta-corrente, C/I representa conta investimento. A letra T, por sua vez, diz respeito às transferências. Assim, TB são transferências bancárias e TBI são transferências bancárias via internet. Já o termo Dep se refere aos depósitos. As siglas PGTO ou PG Cobrança indicam pagamentos, como os de boletos. Por fim, DA representa débito automático.

Impostos

Apesar de também serem representados por letras, é interessante, por fim, conferir os impostos separadamente. Afinal, eles têm grande peso para as empresas. Suas principais siglas incluem:

  • CCF (Cadastro de Emitentes de Cheques Sem Fundo);
  • IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras);
  • TRF ou TAR (Tarifa Mensal de Serviços);
  • ENG, que significa que uma tarifa foi lançada como encargo.

Acessar essas informações é essencial, visto que as organizações precisam deduzir impostos de seus cálculos financeiros para encontrar dados capazes de amparar a construção de balanços patrimoniais, DREs (Demonstrativos de Resultado do Exercício) e outros documentos.

O extrato bancário é um documento comumente presente na vida dos brasileiros, sejam eles Pessoas Físicas, sejam eles Pessoas Jurídicas. Contudo, no segundo caso, ele se mostra ainda mais importante, pois permite que a companhia se organize financeiramente e ampare a tomada de decisões futuras. Com as dicas deste artigo, a leitura das informações contidas nele se tornou muito mais simples!

Para maximizar o processo de organização financeira, não deixe de contar com a VanPix. Esse portal, desenvolvido pela empresa PIX, permite ao usuário a inserção de seu extrato bancário. Dessa forma, ele poderá analisá-lo com maior precisão. Conte com ele!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.