gargalos financeiros

Conheça os 5 gargalos financeiros mais comuns nas empresas

Pesquisas apontam que no Brasil seis em cada dez empresas passam por dificuldades financeiras e fecham antes de completar cinco anos de atividade. E em grande parte dos casos, os problemas começam com gargalos financeiros que interferem na sustentabilidade do empreendimento.

Isso acontece porque, infelizmente, muitos dos empreendedores brasileiros abrem negócios sem entender alguns fundamentos de educação financeira e empreendedorismo. Assim, grande parte dos problemas seriam evitados com o entendimento de como se formam os gargalos financeiros, tão comuns em empresas de pequeno, médio e até grande porte.

Então, se você quer evitar que sua empresa cometa esses erros, chegou ao lugar certo! A seguir explicamos o que são os gargalos financeiros e apresentamos os 5 mais comuns nas empresas brasileiras.

Os 5 gargalos financeiros mais comuns nas empresas

Os gargalos financeiros podem ser identificados como qualquer prática ou problema que interfira no bom andamento das obrigações financeiras e fiscais da empresa. 

Nesse sentido é preciso entender que manter uma boa gestão e um fluxo financeiro eficiente é essencial para o crescimento sustentável de um negócio. Do contrário, em pouco tempo a empresa pode passar por dificuldades para adquirir insumos com fornecedores, pagar impostos, acertar folha de pagamento, conseguir empréstimos etc. 

Confira a seguir quais são os gargalos mais comuns e analise se a sua empresa passa por alguma das situações apresentadas.

1. Misturar contas físicas com jurídicas

Misturar contas pessoais com as contas da empresa é, talvez, o erro mais cometido por empresas recém-abertas. Essa prática faz com que seja mais difícil entender a real situação financeira do negócio e pode maquiar a realidade da empresa. 

Muitas vezes se o negócio passa por dificuldades ou até mesmo está dando prejuízo, isso pode não ficar claro justamente pela mistura entre o que é referente ao faturamento da empresa e suas despesas. Contudo, isso pode ser facilmente resolvido com a separação das finanças pessoais e empresariais e com a definição de um valor de pró-labore a ser pago para os gestores.

2. Gestão ineficiente de fluxo de caixa

Tendo separado as finanças empresariais das finanças pessoais é também fundamental fazer uma gestão eficiente do fluxo de caixa. Empresas que não cuidam dessa parte operacional frequentemente se veem em apuros por não conseguirem honrar compromissos com fornecedores, funcionários e até mesmo financiadores importantes para o negócio.

Manter um controle do fluxo de caixa garante que a empresa consiga projetar, baseado nos gastos passados, quais serão suas despesas futuras e, assim, realizar um planejamento estratégico financeiro de curto, médio e longo prazo.

3. Não execução de cortes de despesas

Em períodos de retração econômica, e até mesmo em períodos de crescimento, é preciso que a empresa esteja atenta a possíveis cortes de despesas. Especialmente em mercados muito competitivos e apoiados por ferramentas tecnológicas de gestão e vendas, muitos custos podem ser reduzidos.

A automatização de atividades e a terceirização de certos serviços podem aliviar a pressão financeira e tornar a empresa mais escalável.

4. Falta de controle financeiro efetivo

É comum que a falta de um controle financeiro efetivo, que avalie de forma cotidiana riscos e oportunidades, atrapalhe até mesmo empresas em boas condições financeiras. Para manter sempre a empresa com uma boa saúde contábil é preciso aproveitar todas as oportunidades que reduzam despesas ou aumentem os lucros.

Isso quer dizer que as empresas também devem se valer de oportunidades para reduzir despesas, ampliar os negócios, investir ou, simplesmente, melhorar a eficiência das suas operações.

5. Dificuldade em conseguir crédito

Ter acesso a linhas de crédito empresarial e poder contar com essa alternativa para realizar investimentos é fundamental para uma empresa que busca um bom posicionamento no mercado. Portanto, se a sua empresa tem dificuldades em conseguir crédito junto às instituições financeiras, é preciso acender um sinal de alerta.

Na maioria dos casos, empresas que não conseguem crédito junto às instituições passam por problemas de planejamento financeiro e controle de fluxo de caixa. Por isso, cuidar desses gargalos é essencial para que o negócio volte a conseguir crédito caso precise arcar com despesas emergenciais ou planeje fazer investimentos no negócio.

Se você chegou até aqui, provavelmente percebeu como os gargalos financeiros estão ligados uns aos outros. Portanto, uma boa gestão financeira depende da profissionalização das atividades contábeis. Essa profissionalização beneficiará as finanças da empresa e pode ser um fator determinante para a sua sobrevivência e sucesso no mercado.

Agora que você já conhece os principais gargalos financeiros das empresas, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais! Assim, você ajuda outras pessoas a organizarem as finanças pessoais e empresariais!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.