variação cambial

Como a variação cambial afeta as empresas? Confira!

Caso você acompanhe os jornais com frequência, é quase certeza de que já ouviu falar em variação cambial, uma expressão comum em todos os noticiários. Mas por que se fala tanto sobre isso? Simples! Ela tem um impacto direto sobre as empresas do nosso país.

Nem todo mundo sabe o que é a variação cambial e como ela pode afetar a nossa economia ou as nossas empresas. Bom, isso pode ser um problema, já que, caso você atue como um gestor, haverá um impacto direto sobre você e sobre o seu trabalho.

No entanto, não se preocupe! A real intenção deste post é orientá-lo sobre o que é a variação cambial, como ela pode afetar as mais variadas corporações e de que maneira blindar a sua organização da melhor forma para lidar com isso. Continue a leitura e confira!

O que é a variação cambial?

Mesmo que possa parecer distante de nossa realidade, a variação cambial tem um impacto direto sobre todas as compras que fazemos em nosso dia a dia. Por exemplo, em uma viagem internacional, na qual você compra produtos com o cartão de crédito, os valores podem mudar por conta desse conceito.

Falando de maneira “grosseira”, o valor do dólar pode ser diferente no dia do fechamento da fatura em relação àquele do dia em que a compra foi realizada. O resultado disso é que essas aquisições podem sair mais baratas ou mais caras, a depender da real variação que ocorreu entre os dois períodos.

Agora, saindo do nosso exemplo e voltando ao mundo real, da mesma maneira que isso impacta esse tipo de compra, o conceito de variação cambial influencia o preço das mercadorias importadas vendidas no Brasil. Paga-se mais porque o dólar subiu. Podemos dizer, então, que o termo representa a diferença que existe no valor de um produto ocorrida entre a sua compra e o momento do seu pagamento, o que acontece devido à flutuação cambial, à valorização ou à desvalorização de uma moeda em relação à outra.

Qual é a diferença para a taxa de câmbio?

A variação do dólar está ligada ao conceito de oferta e demanda. Se há uma grande quantidade de dólares disponível no país, a moeda americana acaba por desvalorizar. Contudo, caso haja pouca oferta, a moeda valoriza.

O preço pago por ela é chamado de “taxa de câmbio”, que é a relação entre as duas moedas — a do país em questão, nesse caso, o real, e o dólar. Essa diferença traz um impacto direto sobre os preços praticados nas economias mundo afora. A variação cambial é exatamente a diferença entre duas taxas de câmbio, considerando a que foi utilizada no negócio na data da compra e a que será aplicada no dia do pagamento.

Como a variação cambial afeta as empresas?

Os tempos atuais são de instabilidade no mercado e estamos vendo uma alta volatilidade no preço da moeda americana em relação ao real. Um erro comum para a maioria dos gestores é acreditar que essas flutuações do dólar afetam apenas as grandes empresas multinacionais e os investidores internacionais.

O “sobe e desce” constante da moeda americana tem um impacto direto sobre as médias e as pequenas empresas, visto que muito da tecnologia que utilizamos em solo brasileiro é importada, assim como insumos e equipamentos. O brasileiro se acostumou a ver as movimentações do dólar como algo que afeta apenas empresas de grande porte, principalmente aquelas que lidam diretamente com a importação ou com a exportação de mercadorias.

Se houver uma elevação, será muito bom para as corporações que realizam a exportação de produtos e que vendem mercadorias para o exterior. Contudo, tal movimentação é prejudicial para as importadoras, que compram de fora para revender no país, pagando mais caro para adquirir os bens.

Por mais que, dentro desse “sobe e desce”, as pequenas e as médias empresas possam parecer imunes, de forma prática, todos são afetados. Em uma economia globalizada, praticamente todo tipo de negócio faz uso de equipamentos, insumos ou tecnologias importados. Por exemplo, considere uma empresa que atua com terraplanagem em uma determinada região. Para o seu funcionamento, quase todos os equipamentos devem ser importados, e mesmo os comprados aqui são montados com peças e tecnologias importadas.

Como podemos ver, a variação cambial acaba afetando toda a economia e deve ser uma preocupação constante de qualquer gestão, mesmo quando não se está diretamente envolvido com a importação ou com a exportação de mercadorias. Taxas altas aumentam os preços e reduzem a lucratividade, enquanto uma baixa da moeda americana pode trazer maiores margens de lucro ao reduzir os custos de produção e de manutenção.

Como se blindar contra essas oscilações?

Para companhias que buscam ofertar os seus serviços e os seus produtos no mercado externo ou querem importar itens de outros países, há formas de se blindar contra a variação cambial e mitigar ao máximo os riscos de variação da moeda americana e os custos das operações. O chamado hedge cambial é composto de instrumentos derivativos que buscam criar uma proteção contra as variações da taxa de câmbio do dólar, garantindo, assim, um valor justo na relação entre as duas moedas.

Isso é feito por meio de negociações de contratos futuros, que garantem que o preço pago na moeda americana será o mesmo (ou parecido) que o atual no momento da negociação. O mais comum para acessar esses instrumentos derivativos é recorrer à Bolsa de Valores, estabelecendo preços por ativos, ou acessar essas ferramentas por meio de bancos, que ofertam uma série de possibilidades de negociação.

Infelizmente, esse tipo de proteção só faz sentido para quem atua diretamente com o mercado externo, seja importando, seja exportando mercadorias. Para quem opera no mercado interno e faz uso de produtos, insumos ou tecnologias importados, não há uma forma direta de se proteger contra as variações da moeda americana, sendo que, nesse caso, o ideal é buscar realizar um planejamento financeiro cuidadoso, verificando sempre as variações cambiais.

Independentemente do seu ramo de atuação, a variação cambial pode trazer um impacto, direto ou indireto, sobre a sua empresa, sendo necessário proteger-se da melhor maneira, seja por meio de um hedge cambial, seja tomando mais precauções em aquisições e melhorias.

E então? Quer saber como uma solução financeira robusta e confiável pode auxiliar nessa jornada? Entre em contato conosco agora mesmo!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.